Como fazer fluxo de caixa? Passo a Passo simples

Finanças
13 minutos de leitura 08.12.2021
Como fazer fluxo de caixa? Passo a Passo simples
Compartilhar Facebook Twitter Whatsapp

Conheça as principais dicas e o passo a passo para fazer um fluxo de caixa e entenda os benefícios da ferramenta para o seu negócio.

Alguma vez você já se perguntou se a sua empresa realmente precisa de um fluxo de caixa contínuo para se manter saudável no mercado?

 

Se você não sabe a resposta desta pergunta ou ainda tem alguma dúvida sobre o assunto, não se preocupe. Neste artigo, te mostramos as principais vantagens da ferramenta e elencamos as principais dicas e informações sobre como fazer um fluxo de caixa. Continue a leitura!

 

 

Afinal, o que é fluxo de caixa?

 

Podemos resumir o fluxo de caixa como um instrumento essencial de controle financeiro. Afinal, essa ferramenta contábil permite que o gestor do negócio acompanhe as finanças, os investimentos e os rendimentos do estabelecimento.

 

É no fluxo de caixa que os gestores mantêm o registro de tudo o que entra e sai em um determinado período na empresa.

 

Para isso, devem ser registrados:

 

  • Todos os recebimentos;
  • Todos os pagamentos;
  • Recebimentos e pagamentos previstos para o futuro.

 

Esse controle pode ser realizado diariamente, semanalmente ou até mesmo mensalmente. O mais indicado é que seja realizado o acompanhamento diário, a fim de manter o gestor do negócio sempre atualizado em relação às finanças.

 

Esses períodos menores de acompanhamento, inclusive, apesar de exigirem maior esforço, possibilitam o ajuste das finanças em casos de contingências.

 

 

Vantagens de fazer o fluxo de caixa

 

Em resumo, dizemos que o fluxo de caixa permite a identificação precoce de sobras e faltas no caixa, permitindo, então, que a empresa planeje melhor as suas ações futuras.

 

Entre outras vantagens essenciais do fluxo de caixa, estão:

  1. Permite a visão financeira geral da empresa;
  2. Possibilita que o gestor planeje e controle as entradas e as saídas de caixa em um determinando período de tempo;
  3. Informa se as vendas atuais serão o suficiente para cobrir os desembolsos futuros;
  4. Auxilia o gestor ou empresários do negócio a tomarem decisões antecipadas sobre possíveis problemas;
  5. Verifica a possibilidade de fazer promoções na empresa, reduzir ou aumentar os preços;
  6. Verifica se os recursos financeiros atuais são o suficiente para o andamento e crescimento financeiro do estabelecimento.

 

No geral, o fluxo de caixa antecipa a tomada de decisão e evita futuras dores de cabeça para o negócio.

 

Leia também: Fluxo de caixa semanal: saiba como fazer o da sua empresa

 

 

Passo a passo para montar um fluxo de caixa

 

Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre como fazer um fluxo de caixa. A realidade é que o fluxo de caixa não é uma tarefa difícil, contudo, é preciso bastante organização e persistência dos responsáveis pela função.

 

Afinal, os dados devem estar sempre atualizados para que se possa ter uma visão real do negócio. Dessa forma, é essencial manter um controle efetivo das finanças da empresa e cumprir com o prazo estabelecido: diariamente, semanalmente ou até mesmo mensalmente.

 

 

Ilustração

 

 

Veja algumas dicas e passo a passo para calcular o fluxo de caixa:

 

 

1. Identificar as despesas

A primeira coisa que você deve fazer para montar um fluxo de caixa é identificar todas as despesas da sua empresa, tanto os custos fixos quanto os variáveis.

 

Os custos fixos estão relacionados às despesas que são geralmente iguais, como aluguel, salários, contas de água, luz e telefone.

 

Os custos variáveis, por outro lado, são os que se alteram conforme a produtividade do negócio. Alguns exemplos de custos variáveis são os custos com matérias primas e manutenção de equipamentos.

 

 

2. Identificar o dinheiro em caixa

Depois que você verificou e analisou quais são as despesas do seu negócio, agora é hora de identificar a sua situação financeira.

 

Para isso, subtraia o dinheiro total que vem das vendas pelos custos dentro do período avaliado (dia, semana ou mês). Nessa segunda etapa, você também deve considerar as receitas que podem existir — investimentos, por exemplo.

 

 

3. Separar as contas a pagar e as contas a receber

Depois que você tem avaliada a situação financeira da empresa, é a hora de controlar as contas a pagar e as contas a receber. Gerencie as informações para manter o fluxo de caixa em dia.

 

Uma boa dica é deixar essas informações separadas em categorias. Afinal, os dois itens não são da mesma natureza e não podem permanecer na mesma lista ou somatória.

 

 

4. Evitar pagar contas em atraso

O passo três é fundamental para que este passo não ocorra no seu negócio.

 

Gerenciar um fluxo de caixa de maneira apropriada é evitar pagar contas em atraso. Afinal, elas vêm sempre acompanhadas de juros e multas — valores que poderiam ser economizados e investidos em outros setores da empresa.

 

 

5. Lidar com inadimplências

Caso algum cliente não pague as suas dívidas, você precisa ter procedimentos prontos para lidar com a situação.

 

Para isso, é importante estar sempre em aberto às negociações e ter o controle exato das contas que ainda não foram pagas.

 

 

6. Fazer a conciliação bancária

Depois de toda análise realizada nos últimos passos, é a hora de checar se o dinheiro das contas bancárias do estabelecimento condiz com o dinheiro registrado.

 

Aqui, as vantagens do fluxo de caixa já começam a aparecer: caso os números não sejam os mesmos, é possível identificar o erro e corrigi-lo.

 

Outra dica essencial para o crescimento da empresa é nunca misturar contas pessoais com empresariais. Essa dica é essencial pois você pode acabar usando o dinheiro da sua empresa para situações pessoais e levar até mesmo o negócio à falência.

 

 

Utilize um sistema para ajudá-lo no controle financeiro!

 

Neste artigo, você viu que não tem nenhum mistério para fazer o fluxo de caixa. Contudo, com a correria do dia a dia e com os inúmeros números e informações que devem ser registrados diariamente, acabam ocorrendo erros humanos.

 

Como forma de evitar que esses erros aconteçam e automatizar as funções, os sistemas de gerenciamento online têm sido bastante utilizados pelas empresas. Aqui no Contas Online, por exemplo, utilizamos a tecnologia como grande aliada para a rotina da sua empresa.

 

São mais de 20 funcionalidades em nosso sistema desenvolvidas para facilitar o seu dia a dia e também o do seu negócio. Que tal assinar o plano grátis e conhecer de perto os nossos diferenciais?

 

Ilustração

Feedback Gostou ou foi útil pra você este conteúdo? Sim Não
Usamos cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdos.
Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.
Aguarde